Cineclube Théo exibe “Monstro que nada” e “Bumba meu Jaraguá”

Publicado em 24 Jul 18


Os curtas fazem críticas sociais relacionadas ao meio ambiente e patrimônio histórico
 


Anna Sales – estudante de Jornalismo


 
Na terça, 31, às 14h, vai acontecer mais uma edição do CineClube Théo. Dessa vez, os filmes exibidos serão “Monstro que nada”, com a temática da poluição ambiental, mostrando a destruição do Riacho Salgadinho e “Bumba meu Jaraguá”, que dialoga sobre o abandono e a falta de significado do bairro de Jaraguá para a população maceioense. A sessão será no auditório do Museu Théo Brandão. 


Misturando ficção e realidade, o curta “Monstro que nada” começa mostrando como era o Salgadinho antigamente, com peixes, lavadeiras e sem sinal de poluição. Atualmente, as imagens revelam o oposto do que está sendo dito sobre o passado. Há também uma crítica aos governantes e a população que esqueceram daquele local e contribuíram para a degradação ambiental, além de outras críticas sociais. De acordo com o filme, o monstro é a metáfora para uma sociedade em decadência, que esconde tudo que lhe parece feio e desagradável de se ver. 


Imagens que mostram um vazio, falas que nos colocam no contexto histórico. É assim que o documentário “Bumba meu Jaraguá” retrata o descaso com o patrimônio histórico do bairro de Jaraguá, com seus prédios em situação de abandono e a falta de moradores. O local foi um importante ponto de partida para o crescimento de Maceió, mas hoje, a população não se sente mais parte integrante da história deste lugar. 


Após a sessão, haverá um debate acerca da temática dos filmes com Fabbio Cassiano, que é um dos diretores de “Monstro que nada”. Além de ser graduado em História pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), participou da criação coletiva dos micro-curtas de 1 minuto: “Filme do Filme”, “Roupa Qualquer” e “Com-posição” (2016). A mesa também terá a participação de Roseane Monteiro e Jéssica Conceição, produtoras e diretoras do documentário “Bumba meu Jaraguá.” Roseane Monteiro é bacharel e mestra em História pela UFAL, assinou coletivamente o filme” Onde Você Mora?” (2017) e lecionou para os alunos do Curso de Operador de Câmera as disciplinas de Expressão e Linguagem do Cinema e Roteiro. Jéssica Conceição é graduada em Geografia pela UFAL e participou coletivamente dos filmes “As Melhores Noites de Veroni” (2017), “Onde Você Mora?” (2017) e “Angelita” (2016), além de ter feito fotografia e pesquisa no projeto de “Inventário e Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial de Alagoas”. 


O projeto “Cineclube Théo” acontece na última semana do mês, com o objetivo de “abordar temas contemporâneos, sempre trazendo convidados para discutir esses assuntos”, explicou Iraci Oliveira, do Núcleo de Ação Educativa e Pesquisa do MTB. O evento é aberto ao público. A classificação etária indicativa é livre.





Esse artigo foi lido 64 vezes!




Siga-nos no Facebook




Leia Também


Reabertura da exposição permanente do MTB é comemorada com festa junina



3° Festival Théo Brandão de Fotografias e Filmes Etnográficos é realizado no ICS



Inscrições PRORROGADAS para apresentar pesquisas no Museu Théo Brandão