Servidores e bolsistas do MTB têm trabalhos aprovados em congresso

Publicado em 01 Jun 18


As pesquisas apresentadas vão enfocar projetos, exposições e ações do Théo Brandão

 

Anna Sales – estudante de Jornalismo

 

Os servidores e bolsistas do Núcleo de Ação Educativa e Pesquisa (NAEP), do Museu Théo Brandão (MTB) tiveram trabalhos aprovados para o “8º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária”, que vai acontecer em junho, em Natal, no Rio Grande do Norte. Ao todo, quatro pesquisas foram inscritas, tendo como temas principais as áreas educativa e cultural.

 

O acadêmico em Dança, Maciel Ferreira, procura mostrar em seu estudo, que a interação público-artista não pode ficar limitada à apreciação. O estudante focou sua pesquisa na “Mostra Poéticas e Talentos Coreográficos”, projeto ocorrido no MTB, no qual ao final de cada apresentação, havia uma roda de conversa com o público. O artista ouvia impressões, críticas, elogios e diversas leituras acerca de sua criação. A mostra contou com a participação de 18 artistas e público de mais de 200 pessoas.

 

Já as bolsistas Camila Oliveira e Letícia Romariz procuraram trazer uma abordagem pedagógica entre Rap e cordel, a partir da exposição temporária “Xilogravura e Poesia: a arte de Enéias Tavares dos Santos”, realizada no MTB. Tendo como público majoritário jovens e adolescentes da zona urbana, o desafio da pesquisa estava no fato do cordel ser algo remetente ao interior e aos tempos passados, que é uma realidade diferente do público frequentador da exposição.

 

Os estudantes Hugor Soares e Viviane Lima vão debater as questões da cultura alagoana, os desafios da falta de valorização do artista local e de como e por que nossas próprias produções culturais, por vezes, parecem alheias a nós mesmos, a partir da exposição temporária “Xilogravura e Poesia: a arte de Enéias Tavares dos Santos”. Na mediação, eles tentaram promover a interação com as linguagens artísticas (xilogravura e cordel) e refletir meios de dar relevância e sentido de continuidade a elas.

 

As servidoras Caroline Ribeiro e Iraci dos Santos mostraram em sua pesquisa que, nos seus 40 anos de existência, o Museu Théo Brandão vem se mostrando cada vez mais comprometido com a democratização e a difusão de conhecimentos nas áreas da Antropologia, do folclore e da cultura popular, a partir de seus programas, projetos e ações.





Esse artigo foi lido 149 vezes!




Siga-nos no Facebook




Leia Também


MTB está fechado para manutenção



Museu Théo Brandão realiza programação especial na “Semana de Museus”



Bloco Filhinhos da Mamãe festeja 35 anos de tradição no carnaval