Novo projeto do Museu Théo Brandão discute questões étnicas

Publicado em 16 Mai 16


Programação gratuita inclui oficinas, exibição de filmes, grupos de estudo e palestras

 

Jacqueline Batista

 

O Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB) dá início ao projeto Fórum Zumba, Théo, Djavan e você. Com atividades mensais e quinzenais, a programação inclui oficinas, exibição de filmes, grupo de estudo, palestras e apresentações artísticas.

 

De acordo com a diretora do Museu, Nadir Nóbrega, o objetivo do grupo “é contextualizar as atividades artísticas, por meio de artigos, entrevistas jornalísticas atuais e pesquisas de caráter formador para entender melhor as culturas negras e indígenas”, explicou.

 

Na última quarta-feira do mês, haverá programação com palestra e performances artísticas, das 17h30 às 22h. Quinzenalmente, às terças-feiras, é a vez do grupo de estudos Outros Olhares se reunir, das 10h30 às 12h30. 

 

A exibição de filmes será na última quinta-feira do mês, a partir das 18h30, com o cineclube Elegbá. A periodicidade dos eventos que integram o projeto poderá ser alterada, quando houver feriados e períodos de recesso acadêmico.

 

A diretora do MTB explica que o título do projeto foi escolhido por mencionar personalidades que fazem discussões políticas sobre temas sociais. A obra do músico alagoano Djavan e as pinturas feitas pelo mestre José Zumba serviram de inspiração para nomear o projeto. “No nosso modo de ver, Zumba e Djavan têm conteúdo político e social, que abordam questões de identidade étnica racial e de classe, expressas em suas obras. Já Théo Brandão não pode ser visto apenas como alguém que recolheu peças para expor, mas peças que são de movimentos culturais e de identidades nacionais. E 'você' se refere ao participante do evento, ao palestrante, ao servidor do museu. Pode ser qualquer pessoa que se envolva nesse processo, na sua transformação e participação social”, explica Nadir.

 

Programação de maio

 

A abertura oficial do fórum será nesta quarta-feira (25), às 17h30, com a palestra A importância da obra ‘Tia Marcelina’ do artista plástico José Zumba para ensino das artes e dos movimentos sociais, realizada pelo antropólogo, Jeamerson dos Santos. Na ocasião, haverá duas performances solo: Águas, com a professora de Dança Nadir Nóbrega, e Calmaria, com Leonardo Emiliano. A programação do dia acaba com a apresentação musical do grupo Som do Beco. Na terça (31) acontece o grupo de estudos Outros olhares.

 

Por conta do feriado de Corpus Christi, no dia 26 de maio, o cineclube será antecipado para esta terça (24), com a exibição do filme de animação Uma história de amor e fúria. O filme, vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, na categoria melhor filme de animação, é uma produção brasileira do gênero ficção científica, escrito e dirigido por Luiz Bolognesi.

 

Confecção de bonecas

 

Além das atividades permanentes, o fórum vai realizar a Oficina de bonecas e bonecos de pano: uma contextualização da Lei 11.645/2008, com a aluna de Dança Licenciatura, Zezinha Dias e a professora da ETA (Escola Técnica de Artes), da Ufal, Andréa Cavalcante. A referida lei tem como objetivo tornar obrigatório o estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena no ensino fundamental e médio. “Vamos trabalhar, primeiramente, a cultura negra, com a lenda de Iemanjá. E, em julho, retornaremos, enfatizando a Vitória Régia, da cultura indígena”, explicou Zezinha.

 

A oficina acontece às segundas, das 13h às 16h30, com as próximas aulas nos dias 23 e 30 de maio. Haverá mais três aulas em julho, após o recesso acadêmico e festas juninas. Não é preciso realizar inscrição prévia.

 

As atividades de confecção dos brinquedos serão seguidas pela contação de histórias sobre lendas afro-brasileiras e indígenas. A leitura será realizada pela professora Nadir Nóbrega. Zezinha ressalta que os participantes da oficina devem levar tesoura e agulha de costura para confeccionar os personagens e figurinos que serão usados na dramatização das lendas. A programação do fórum é aberta ao público. Mais informações pelos telefones 3214-1716/1710/1715.

 





Esse artigo foi lido 26 vezes!




Siga-nos no Facebook




Leia Também


MTB está fechado para manutenção



Educação escolar é tema do Abril Indígena



Mostra de talentos será apresentada no Museu Théo Brandão