Novo projeto do Museu Théo Brandão discute questões étnicas

Publicado em 16 Mai 16


Programação gratuita inclui oficinas, exibição de filmes, grupos de estudo e palestras

 

Jacqueline Batista

 

O Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB) dá início ao projeto Fórum Zumba, Théo, Djavan e você. Com atividades mensais e quinzenais, a programação inclui oficinas, exibição de filmes, grupo de estudo, palestras e apresentações artísticas.

 

De acordo com a diretora do Museu, Nadir Nóbrega, o objetivo do grupo “é contextualizar as atividades artísticas, por meio de artigos, entrevistas jornalísticas atuais e pesquisas de caráter formador para entender melhor as culturas negras e indígenas”, explicou.

 

Na última quarta-feira do mês, haverá programação com palestra e performances artísticas, das 17h30 às 22h. Quinzenalmente, às terças-feiras, é a vez do grupo de estudos Outros Olhares se reunir, das 10h30 às 12h30. 

 

A exibição de filmes será na última quinta-feira do mês, a partir das 18h30, com o cineclube Elegbá. A periodicidade dos eventos que integram o projeto poderá ser alterada, quando houver feriados e períodos de recesso acadêmico.

 

A diretora do MTB explica que o título do projeto foi escolhido por mencionar personalidades que fazem discussões políticas sobre temas sociais. A obra do músico alagoano Djavan e as pinturas feitas pelo mestre José Zumba serviram de inspiração para nomear o projeto. “No nosso modo de ver, Zumba e Djavan têm conteúdo político e social, que abordam questões de identidade étnica racial e de classe, expressas em suas obras. Já Théo Brandão não pode ser visto apenas como alguém que recolheu peças para expor, mas peças que são de movimentos culturais e de identidades nacionais. E 'você' se refere ao participante do evento, ao palestrante, ao servidor do museu. Pode ser qualquer pessoa que se envolva nesse processo, na sua transformação e participação social”, explica Nadir.

 

Programação de maio

 

A abertura oficial do fórum será nesta quarta-feira (25), às 17h30, com a palestra A importância da obra ‘Tia Marcelina’ do artista plástico José Zumba para ensino das artes e dos movimentos sociais, realizada pelo antropólogo, Jeamerson dos Santos. Na ocasião, haverá duas performances solo: Águas, com a professora de Dança Nadir Nóbrega, e Calmaria, com Leonardo Emiliano. A programação do dia acaba com a apresentação musical do grupo Som do Beco. Na terça (31) acontece o grupo de estudos Outros olhares.

 

Por conta do feriado de Corpus Christi, no dia 26 de maio, o cineclube será antecipado para esta terça (24), com a exibição do filme de animação Uma história de amor e fúria. O filme, vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, na categoria melhor filme de animação, é uma produção brasileira do gênero ficção científica, escrito e dirigido por Luiz Bolognesi.

 

Confecção de bonecas

 

Além das atividades permanentes, o fórum vai realizar a Oficina de bonecas e bonecos de pano: uma contextualização da Lei 11.645/2008, com a aluna de Dança Licenciatura, Zezinha Dias e a professora da ETA (Escola Técnica de Artes), da Ufal, Andréa Cavalcante. A referida lei tem como objetivo tornar obrigatório o estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena no ensino fundamental e médio. “Vamos trabalhar, primeiramente, a cultura negra, com a lenda de Iemanjá. E, em julho, retornaremos, enfatizando a Vitória Régia, da cultura indígena”, explicou Zezinha.

 

A oficina acontece às segundas, das 13h às 16h30, com as próximas aulas nos dias 23 e 30 de maio. Haverá mais três aulas em julho, após o recesso acadêmico e festas juninas. Não é preciso realizar inscrição prévia.

 

As atividades de confecção dos brinquedos serão seguidas pela contação de histórias sobre lendas afro-brasileiras e indígenas. A leitura será realizada pela professora Nadir Nóbrega. Zezinha ressalta que os participantes da oficina devem levar tesoura e agulha de costura para confeccionar os personagens e figurinos que serão usados na dramatização das lendas. A programação do fórum é aberta ao público. Mais informações pelos telefones 3214-1716/1710/1715.

 





Esse artigo foi lido 31 vezes!




Siga-nos no Facebook




Leia Também


Abertas as inscrições para oficina de dança no Museu Théo Brandão



Museu Théo Brandão oferece minicurso com temática indígena



Museu Théo Brandão promove Mostra de Talentos no sábado