Exposição fotográfica revela empoderamento negro

Publicado em 08 Nov 18


A mostra está em cartaz no Museu Théo Brandão

 

Jacqueline Batista - jornalista

 

A exposição “Teia de resistência” ficará em cartaz até o dia 14 de novembro, durante o horário de visitação do Museu (terça a sexta, das 9h às 17h). A mostra tem 21 fotografias de mulheres negras, em contextos diferenciados. São mulheres que tiveram câncer, modelos, mulheres da ONG Afro-in, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), mulheres que fazem parte de manifestações culturais alagoanas, entre outras.

 

A mostra faz parte do curso de extensão “Fotografia e empoderamento étnico” do Instituto Federal de Alagoas (Ifal). O curso tem duração de seis meses e prevê uma segunda exposição no próprio Instituto. A curadora da mostra e aluna do curso, Hildênia Oliveira, conta que a maior parte das fotografias foram feitas usando o celular. “Aprendemos que o olhar é bem mais importante que o equipamento”, disse.

 

Hildência explicou que a formação teve um enfoque no empoderamento negro, em suas diversas formas, passando pela moda, estética (cabelo e maquiagem), entre outras questões. “Houve um direcionamento do olhar para esse empoderamento. Isso deu sentido ao nome da exposição. A resistência é pensar em todas as questões étnicas necessárias para a reflexão, especialmente nesse momento atual do país”, disse a curadora.





Esse artigo foi lido 75 vezes!




Siga-nos no Facebook




Leia Também


Exposição de Cordel e Xilogravura



Exposição "As 50 histórias que minha avó contava"



Artista Petrônio Farias é ganhador do Gustavo Leite 2014